28 de janeiro de 2011

Minhas férias prediletas


Nossa vida é rodeada de ciclos. E todos eles; bons, ruins, cansativos ou prazerosos, um dia acabam.
Vai me dizer que você não achava que aquele namorico da adolescência ia durar para sempre? E depois ainda jurou pra Deus e o mundo que nunca mais se interessaria por outra pessoa.
Pois é, mas o danado do ciclo atacou novamente. E a escola? Aquelas amizades “eternas” do tempo de escola? Hoje, se você conseguir manter contato com apenas um daqueles seus 30 amigos, é muito.
Algumas pessoas tem facilidade para encerrar e começar novos ciclos.
Eu, confesso que sou bom para começar, mas “corto um dobrado” para terminar meus ciclos.
Sejam eles quais for. Senti muita tristeza quando me formei no ensino médio e no colegial. Sabia que perderia contato com aqueles que dividiram anos de suas vidas comigo. Fiquei triste até em pensar que não veria mais aquele colega nerd. Aquela menina insuportável que sentava na primeira carteira puxando saco dos professores.
Acho que o único ciclo que encerrei sem dor foi uma mudança de emprego.
Sair de vendedor para jornalista não deixa muita saudades não.
Ontem, 27 de janeiro encerrei mais um ciclo em minha vida.
Ciclo curto, mas que como todos os outros, deixará saudade.
A princípio, a ideia de fazer um curso intensivo de inglês, três horas por dia, todos os dias da semana, nas férias, não é das mais excitantes.
Ainda pensei em trocar isso por uma estadia no Caribe, mas necessidade do mercado de trabalho e a falta de tempo- leia-se $$$- não me deixaram escolha.
Mas para minha surpresa; Isto mesmo, surpresa, conheci pessoas maravilhosas, que faziam daquelas três horas o momento mais prazeroso do meu dia.
Uns engraçados, outros calados, uma professora dedicada e competente. Mas todos ali, unicamente iguais em suas inúmeras diferenças. Pessoas do bem, com caráter, encantadoras à sua maneira.
Talvez, se eu convivesse com eles no BBB não acharia tudo isso né, mas como eram apenas 3 horas por dia, conheci um pouco do melhor de cada um.
Conclusão: mais um ciclo doloroso. Me incomoda saber que vou perder contato com a maioria daquelas pessoas. Algumas talvez eu não veja nunca mais.
Mas na dúvida entre a tristeza de perdê-los e a alegria de tê-los conhecido, fico com a segunda opção.
Curti um pouco de cada pessoa que estava ali. Um sorriso, um erro de pronúncia -porque fazer inglês por obrigação não é nada fácil-, uma história de vida.
E assim seguimos a vida; nos encantando, decepcionando, aproximando e distanciando.
Mas com toda certeza, vivendo, e fazendo com que cada minuto que estejamos aqui, valha a pena.
Meu carinho e agradecimento a todos que dividiram este mês maravilhoso comigo: Professora Tati, Tarcisio (Meira), Rafael(litle boy), Dani (sleep), Camila (crazy blond), Antônio Luiz (Wonderful), Reginaldo (Serra), Paloma (Pocahontas), Agnaldo (Safadão) e Camila Silvestri (The Casper Woman).

3 comentários:

Tati Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tati Rodrigues disse...

Show! O curso de férias foi realmente impagável rs! Dá mesmo uma sensação meio 'bittersweet' quando terminamos algum 'ciclo', como você nomeou, mas (felizmente, ou infelizmente, ou ambos)é assim que as coisas funcionam e cabe a nós ter a sabedoria de aproveitar ao máximo as experiências. Espero encontrar esse povo aí mais vezes =)

débora disse...

Conheço esse avô que foi julgado e condenado por um jornalzinho de quinta,que apenas se enteressa em dar manchetes sensacionalista sem apurar os fatos,sei muito bem que esse senhor ama todos os seus netos e jamais faria algo de mau para quem quer que seja.Essa "mãe" vai pagar na justiça por tamanha crueldade a quem tanto te deu apoio e assim espero!