17 de fevereiro de 2008

Algumas coisas

Algumas coisas em nossa vida só são percebidas ao passar do tempo.Por exemplo:Só com o tempo descobrimos que as pessoas são realmente humanas, sujeitas a falhas e fraquezas. Também com o tempo, percebemos que algumas pessoas falham demais, e pior, ainda se acomodam sem nada fazer para mudar essa “característica”.Só com o passar do tempo descobrimos que os machucados internos, no coração ou na alma, doem muito mais do que qualquer ferida externa. Para curar feridas do corpo contamos com a mais moderna ciência, enquanto nossas dores espirituais só são curadas com um único e lento remédio-O TEMPO.Também só depois de muito quebrar a cabeça aprendemos a valorizar coisas mais simples como a família ou um abraço. O inventor da frase: Só se valoriza algo quando a perde- é realmente um gênio do comportamento humano. Com o tempo a gente descobre também que não adianta nos preocuparmos só com a beleza de nossos corpos. As rugas, pés de galinha, e calvícies estão aí pra mostrar que vale muito mais uma alma rica e jovem do que um corpo sarado, com prazo de validade estipulado em 30 e poucos anos.Outra coisa que aprendemos tardiamente é que não adianta fazer planos, imaginar um futuro distante e depositar nele sua receita de felicidade. Os momentos mais prazerosos da vida são vividos despretensiosamente. Um pôr do sol, uma noite admirando a lua cheia ao lado da pessoa amada, uma pelada com os amigos para os homens, um elogio sincero para as mulheres. Coisas simples, mas que causam efeito positivo eterno em nossas almas.Como disse acima, existem coisas que só com o tempo descobrimos e valorizamos. Porém muitas, senão todas, podem ser feitas hoje mesmo, por mim e por você.Um gesto de carinho, um olhar amigo, uma presença sincera. Se as melhores coisas da vida são simples, porque não começar a faze-las a partir de agora. Porque esperar pelo incerto amanhã se hoje podemos ser melhores, mais unidos e felizes. Pra que esperar um pai morrer para dizer que o ama? Pra que sofrer a perda de um namorado, se hoje ele está ao seu lado só esperando um pouco mais de doação e carinho. Pra que perder tempo criando expectativas demais se sabemos que muitas delas causam mais decepção do que felicidade. O caminho é esse..esperar menos e fazer mais, cobrar menos e se dar mais, chorar menos e sorrir mais..ser mais intenso, sincero e honesto consigo. Tudo isso para que não seja tarde demais quando descobrirmos que não precisamos de tanto tempo assim para sermos felizes...

13 de fevereiro de 2008

Preta, a moradora de rua vai ter seu sorriso de volta

Continuando a saga da moradora de rua, estou postando aqui uma matéria publicada no Diario de Jacareí do dia seguinte, graças a ajuda da população jacareiense.
Confira:


Linha fina: Além de uma dentadura, ela ainda ganhou uma oportunidade de trabalho

Menos de 12 horas após publicação de uma matéria na edição de anteontem do Diário de Jacareí em que a moradora de rua Maria de Lourdes dos Santos, conhecida como “Preta”, pedia uma dentadura, ela teve a resposta que esperava. Vai receber não só a dentadura, mas também uma oportunidade de emprego.
Minha prima leu a matéria, disse que se tivesse dinheiro iria doar, peguei o jornal e li também, me sensibilizei e resolvemos juntas realizar o sonho da Preta”, disse a comerciante Maria José Nogueira.
Ela entrou em contato com Adriana Farias, que estava intermediando o caso e pediu para que pudesse conhecer Preta. “Sempre sonhei em poder ajudar alguém. Acho isso gratificante”.
Olga de Brito, prima de Maria José, procurou um dentista e marcou uma consulta. “Fui a um dentista hoje, mostrei o jornal a ele e perguntei se ele poderia parcelar o custo da dentadura”. Segundo Olga, o dentista Carlos César aceitou de imediato é já agendou uma consulta para a próxima segunda-feira.
Ontem pela manhã as duas tiveram a oportunidade de conhecer Preta. “Ela é muito divertida e inteligente, foi uma surpresa positiva”, disse Olga.
Maria José afirmou que não pretende parar por aí. “A Preta foi a primeira, mas pretendo ajudar outras pessoas, tenho um projeto de arrecadar alimentos para quem precisa”.


Trabalho - Segundo Maria José, Preta começará também a trabalhar em sua residência a partir da próxima semana. “Abri a porta da minha casa, ela irá fazer faxina para mim uma vez por semana e vou indicá-la também a outras pessoas que conheço que necessitam de uma faxineira”.
Olga completou: “Muitas vezes o que essas pessoas necessitam é de uma oportunidade, vamos dar a dentadura para ela e ajudar de outras maneiras. Acho que se cada um tiver a atitude de ajudar, o mundo seria bem melhor”.

Gratidão- Adriana Farias, que é a pessoa que estava intermediando o caso e fazendo contatos se disse muito grata. “A repercussão da reportagem foi ótima, confiava que seria atendida, mas não imaginei que fosse tão rápido”.
Ela ainda informou que foi procurada por outras pessoas dispostas a ajudar: “Outras pessoas me ligaram, uma outra senhora me ligou querendo doar a dentadura, mas quando soube que a Preta já tinha conseguido, se propôs a ajudar de outras maneiras”.
Adriana disse que Preta ficou muito contente e ansiosa: “Ela ficou muito feliz, irá realizar seu sonho, e não esqueceu da promessa”.