1 de abril de 2008

BBB

Semana passada acabou mais uma edição do Big Brother Brasil. Ao contrário de muitos “intelectuais” do nosso país que só sabem criticar o programa global, não vejo motivos para que o reality show seja tão odiado assim. Afinal, que eu saiba o Boninho nunca afirmou que a intenção do programa era salvar o país da miséria, reeducar as pessoas, ou algo do tipo, mas sim, apenas e tão somente entreter a população brasileira que gosta de televisão.
Discutível sim, é o fato das pessoas gastarem seu tempo e dinheiro, criando heróis e vilões, premiando Rafinha’s da vida com a bolada de 1 milhão de reais, enquanto 90% da população não chega perto de ganhar um décimo disso.
Acredito até que o programa poderia ser bem útil, inspirando um outro reality, esse sim, muito mais interessante pra nossa população: O BBB; Big Brother Brasília.
Você já imaginou 42 câmeras dentro da sala do nosso presidente Lula, e o Brasil todo observando os diálogos, as ligações e tudo que ele faz 24 horas por dia. Imagine ainda, o Congresso Federal, nossos deputados, tudo e todos sendo vigiados pela população, contando com a melhor edição de imagens da televisão brasileira e as charges do excelente Maurício Ricardo.
Iria ser espetacular. O programa do século!
O povo brasileiro decidindo da sua própria casa quem sai no famoso paredão de terça feira.
Roberto Jefferson X Lula; Collor X Maluf, Aécio Neves X Sarney.
E a prosa do Bial então: É Lula, você disse que não sabia de nada, ficou escondido no jogo, não tomou partido em nenhum lado, o povo percebeu, e com 89% o Brasil decidiu que o senhor não será mais presidente do país.
Isso sim é que é democracia.
Num país, onde ser falso é ser esperto, não saber de nada é ser honesto, um Big Brother Brasília incomodaria muita gente...e o Brasil iria conhecer de verdade seus grandes heróis e vilões ...