4 de setembro de 2008

Como tem mercenários no mundo

Passa o tempo e eu não consigo me adaptar a algums situações.
Não consigo entender como tem gente que faz questão de 20, 30 reais, como se esse dinheiro fosse deixar alguém mais rico, ou solucionar todos os seus problemas.
Falo diretamente a alguns músicos por aí. Acredito que uma pessoa se apaixona pela música por ter algum dom, alguma sensibilidade extra. E começa a tocar por aí para poder mostrar essa sensibilidade, passar aos ouvintes e expectadores uma emoção a mais.
Todas vez que canto ou toco me sinto pago por um sorriso, uma salva de palmas, um casal beijando ou dançando.
E claro, dinheiro é bom; quando somos pagos por fazer algo que gostamos, melhor ainda.
Mas o que não entendo é a procura insana pelo vil metal. Temos feito muitos shows por aí e estou sentindo isso na pele. Quando procuramos um músico extra pra abrilhantar mais o evento, logo vem a cobrança: "Toco com vocês sim, quanto é o cache??..Quanto voces me pagam??". Até mesmo alguns integrantes do grupo, antes mesmo de saber o local do show já indagam: "Quanto vamos ganhar??..Vai ter din din?"..PUTZ..isso me brocha. Acho que em primeiro lugar temos que passar nossa essência, transmitir de fato o algo mais que um músico possui, e aí sim, se conseguimos ganhar algo por isso..ÓTIMO.
Faço algumas analogias com o tempo em que eu era jogador profissional, no auge da carreira, e me convidadam pra jogar em algum time. Amistosos, torneios rápidos ou mesmo peladas, em que o pessoal me buscava em casa todo contente por contar com um jogador mais talentoso no time. E eu jamais perguntei quanto receberia, ou qual lucro teria em jogar com desconhecidos. Meu prazer sempre foi jogar, mostrar a todos aquilo que eu praticava e tinha amor em fazer.
Com a música é a mesma coisa. Quero mostrar o pouco do que sei, o carisma do meu grupo e a alegria que sentimos cada vez em que subimos ao palco, independentemente do número de pessoas presentes ao local.
MAIS AMOR(AMADORISMO), MAIS TESÃO, MAIS DOAR, MAIS VIVER
MENOS COBRANÇAS, MENOS ESPERAR, MENOS PROFISSIONALISMO..

25 de julho de 2008

Os verdadeiros fenômenos do esporte brasileiro

Hoje de manhã pudemos acompanhar mais um show do fenômeno. O Brasil deu um espetáculo levando a torcida ao delírio.
Não. Você não está mal informado. Não estou falando dos Ronaldinhos, Kakámídia, nem de Alexandre Patoinventado. E sim dos verdadeiros astros do esporte brasileiro na atualidade. Mesmo sem o devido apoio, sem tantos centros de treinamentos, conseguimos formar uma geração de heróis. O que fazem Giba, Gustavo, Serginho e cia é pra ficar guardado na memória sempre. Além de estarem ganhando todas as competições, num nível deslumbrante, o exemplo maior que ficará desta geração dourada é o comportamento fora de quadra. Você já viu algum atleta do volei na capa da Contigo, Caras, Tititi envolvido em algum escandâlo com amantes, homossexuais ou garotas de programa? Já viu algum ameaçado de ir em cana por dever meses atrasados de pensão alimentícia? ou mesmo brigando com a confederação se negando a defender nosso país em qualquer competição que seja? acredito que não. São atletas em excelência, e acima de tudo, homens de caráter. Queria de coração que a mídia desse mais espaço para esses monstros consagrados em todo o planeta. Para que a molecada de hoje em dia tivesse um exemplo melhor para ser seguido. Acredito muito na família, e vendo cadsa um destes atletas, sinto que ali existe uma base familiar na formação desse caráter exemplar, formando homens vencedores em qualquer atuação exercida.
Parabéns..e que nossos boleiros não nos ouçam..não iria eentender nada disso....

CURTINHA:
O presidente Lula rasgou elogios ao futebol do atacante Dentinho, do Corinthians, e disse temer sua venda precoce para grandes times da Europa.
Moral da história:
Agora sei porque nosso país está vivendo nessa enganação. Se formos associar o entendimento de Lula com relação à política pelo que entende de futebol..nosso destino será o 4°, 5° mundo..e aí por diante..

1 de abril de 2008

BBB

Semana passada acabou mais uma edição do Big Brother Brasil. Ao contrário de muitos “intelectuais” do nosso país que só sabem criticar o programa global, não vejo motivos para que o reality show seja tão odiado assim. Afinal, que eu saiba o Boninho nunca afirmou que a intenção do programa era salvar o país da miséria, reeducar as pessoas, ou algo do tipo, mas sim, apenas e tão somente entreter a população brasileira que gosta de televisão.
Discutível sim, é o fato das pessoas gastarem seu tempo e dinheiro, criando heróis e vilões, premiando Rafinha’s da vida com a bolada de 1 milhão de reais, enquanto 90% da população não chega perto de ganhar um décimo disso.
Acredito até que o programa poderia ser bem útil, inspirando um outro reality, esse sim, muito mais interessante pra nossa população: O BBB; Big Brother Brasília.
Você já imaginou 42 câmeras dentro da sala do nosso presidente Lula, e o Brasil todo observando os diálogos, as ligações e tudo que ele faz 24 horas por dia. Imagine ainda, o Congresso Federal, nossos deputados, tudo e todos sendo vigiados pela população, contando com a melhor edição de imagens da televisão brasileira e as charges do excelente Maurício Ricardo.
Iria ser espetacular. O programa do século!
O povo brasileiro decidindo da sua própria casa quem sai no famoso paredão de terça feira.
Roberto Jefferson X Lula; Collor X Maluf, Aécio Neves X Sarney.
E a prosa do Bial então: É Lula, você disse que não sabia de nada, ficou escondido no jogo, não tomou partido em nenhum lado, o povo percebeu, e com 89% o Brasil decidiu que o senhor não será mais presidente do país.
Isso sim é que é democracia.
Num país, onde ser falso é ser esperto, não saber de nada é ser honesto, um Big Brother Brasília incomodaria muita gente...e o Brasil iria conhecer de verdade seus grandes heróis e vilões ...

17 de fevereiro de 2008

Algumas coisas

Algumas coisas em nossa vida só são percebidas ao passar do tempo.Por exemplo:Só com o tempo descobrimos que as pessoas são realmente humanas, sujeitas a falhas e fraquezas. Também com o tempo, percebemos que algumas pessoas falham demais, e pior, ainda se acomodam sem nada fazer para mudar essa “característica”.Só com o passar do tempo descobrimos que os machucados internos, no coração ou na alma, doem muito mais do que qualquer ferida externa. Para curar feridas do corpo contamos com a mais moderna ciência, enquanto nossas dores espirituais só são curadas com um único e lento remédio-O TEMPO.Também só depois de muito quebrar a cabeça aprendemos a valorizar coisas mais simples como a família ou um abraço. O inventor da frase: Só se valoriza algo quando a perde- é realmente um gênio do comportamento humano. Com o tempo a gente descobre também que não adianta nos preocuparmos só com a beleza de nossos corpos. As rugas, pés de galinha, e calvícies estão aí pra mostrar que vale muito mais uma alma rica e jovem do que um corpo sarado, com prazo de validade estipulado em 30 e poucos anos.Outra coisa que aprendemos tardiamente é que não adianta fazer planos, imaginar um futuro distante e depositar nele sua receita de felicidade. Os momentos mais prazerosos da vida são vividos despretensiosamente. Um pôr do sol, uma noite admirando a lua cheia ao lado da pessoa amada, uma pelada com os amigos para os homens, um elogio sincero para as mulheres. Coisas simples, mas que causam efeito positivo eterno em nossas almas.Como disse acima, existem coisas que só com o tempo descobrimos e valorizamos. Porém muitas, senão todas, podem ser feitas hoje mesmo, por mim e por você.Um gesto de carinho, um olhar amigo, uma presença sincera. Se as melhores coisas da vida são simples, porque não começar a faze-las a partir de agora. Porque esperar pelo incerto amanhã se hoje podemos ser melhores, mais unidos e felizes. Pra que esperar um pai morrer para dizer que o ama? Pra que sofrer a perda de um namorado, se hoje ele está ao seu lado só esperando um pouco mais de doação e carinho. Pra que perder tempo criando expectativas demais se sabemos que muitas delas causam mais decepção do que felicidade. O caminho é esse..esperar menos e fazer mais, cobrar menos e se dar mais, chorar menos e sorrir mais..ser mais intenso, sincero e honesto consigo. Tudo isso para que não seja tarde demais quando descobrirmos que não precisamos de tanto tempo assim para sermos felizes...

13 de fevereiro de 2008

Preta, a moradora de rua vai ter seu sorriso de volta

Continuando a saga da moradora de rua, estou postando aqui uma matéria publicada no Diario de Jacareí do dia seguinte, graças a ajuda da população jacareiense.
Confira:


Linha fina: Além de uma dentadura, ela ainda ganhou uma oportunidade de trabalho

Menos de 12 horas após publicação de uma matéria na edição de anteontem do Diário de Jacareí em que a moradora de rua Maria de Lourdes dos Santos, conhecida como “Preta”, pedia uma dentadura, ela teve a resposta que esperava. Vai receber não só a dentadura, mas também uma oportunidade de emprego.
Minha prima leu a matéria, disse que se tivesse dinheiro iria doar, peguei o jornal e li também, me sensibilizei e resolvemos juntas realizar o sonho da Preta”, disse a comerciante Maria José Nogueira.
Ela entrou em contato com Adriana Farias, que estava intermediando o caso e pediu para que pudesse conhecer Preta. “Sempre sonhei em poder ajudar alguém. Acho isso gratificante”.
Olga de Brito, prima de Maria José, procurou um dentista e marcou uma consulta. “Fui a um dentista hoje, mostrei o jornal a ele e perguntei se ele poderia parcelar o custo da dentadura”. Segundo Olga, o dentista Carlos César aceitou de imediato é já agendou uma consulta para a próxima segunda-feira.
Ontem pela manhã as duas tiveram a oportunidade de conhecer Preta. “Ela é muito divertida e inteligente, foi uma surpresa positiva”, disse Olga.
Maria José afirmou que não pretende parar por aí. “A Preta foi a primeira, mas pretendo ajudar outras pessoas, tenho um projeto de arrecadar alimentos para quem precisa”.


Trabalho - Segundo Maria José, Preta começará também a trabalhar em sua residência a partir da próxima semana. “Abri a porta da minha casa, ela irá fazer faxina para mim uma vez por semana e vou indicá-la também a outras pessoas que conheço que necessitam de uma faxineira”.
Olga completou: “Muitas vezes o que essas pessoas necessitam é de uma oportunidade, vamos dar a dentadura para ela e ajudar de outras maneiras. Acho que se cada um tiver a atitude de ajudar, o mundo seria bem melhor”.

Gratidão- Adriana Farias, que é a pessoa que estava intermediando o caso e fazendo contatos se disse muito grata. “A repercussão da reportagem foi ótima, confiava que seria atendida, mas não imaginei que fosse tão rápido”.
Ela ainda informou que foi procurada por outras pessoas dispostas a ajudar: “Outras pessoas me ligaram, uma outra senhora me ligou querendo doar a dentadura, mas quando soube que a Preta já tinha conseguido, se propôs a ajudar de outras maneiras”.
Adriana disse que Preta ficou muito contente e ansiosa: “Ela ficou muito feliz, irá realizar seu sonho, e não esqueceu da promessa”.

23 de janeiro de 2008

melhores matérias

Ano passado tive oportunidade de fazer algumas matérias interessantes. Vou destacar aqui as mais marcantes de 2007. Aquelas que me fizeram parar, pensar, e rever alguns conceitos importantes. A primeira é um série sobre uma moradora de rua chamada Preta. Uma pessoa pediu que eu a conhecesse, pois ela tinha um sonho muito peculiar. Eu fui..e a matéria está aí..espero que gostem..

Quero voltar a ter um sorriso lindo

É noite em Jacareí. Enquanto as poucas pessoas que ainda circulam pelas ruas da cidade por volta das 23h tentam se afugentar do frio usando casacos e toucas de lã, eles estão ali.
Muitas vezes invisível, outras tantas confundida com uma bandida, mas eles estão ali.
Quem passa pela rua Dr Pompílio Mercadante se depara com um grupo de pessoas especiais.
Sim, especiais! Não são grandes empresários, modelos de grifes internacionais, muito menos artistas conhecidos do grande público. São marginais, no verdadeiro significado da palavra - aqueles que vivem às margens da sociedade-, pessoas excluídas do concorrido mercado de trabalho, mas não excluídos de sonhar.
E ela continua ali, olhar sereno, cabelos brancos, fala dura, coisas de quem passou mais da metade dos seus 39 anos vivendo nas ruas.
Maria de Lourdes dos Santos, mais conhecida como Preta, é uma dessas pessoas que mesmo com uma história de vida sacrificada, poucas oportunidades, continua sonhando.
Quero sair das ruas, ter meus filhos de volta, mas principalmente, olhar no espelho e sorrir”. Isso mesmo, Preta quer sorrir. E para isso necessita de uma dentadura. Parece um sonho fútil. Mas para ela não é.
Eu ainda tenho o sonho de ter um bom emprego, mas hoje sinto mesmo a necessidade de ter uma dentadura, quero me sentir bonita”, disse Preta.
A história de Preta se confunde com a de centenas de mendigos espalhados pela cidade.
Ela era casada, tinha dois filhos, trabalhava numa agência bancária em São Miguel Paulista, mas a morte do marido a fez se aproximar da bebida. “Meu marido morreu, comecei a beber, minha mãe me humilhava e me fez sair de casa”.
Longe dos filhos, perto do vício. Preta não conseguia se ver distantes dos bares, e numa dessas noites conheceu seu atual companheiro.
Os dois começaram a viajar de ônibus sem rumo até que chegaram em Jacareí há cerca de 5 anos .
Preta passa o dia recolhendo objetos recicláveis e a noite se tenta dormir numa caixa de papelão, fazendo desse beco sua moradia. “Pego tudo que tiver na rua, consigo 20 reais por dia, mas não dá pra nada”, diz ela.
Perguntada sobre religião, Preta mostra uma fé surpreendente. “Acredito muito em Deus, sem ele eu não estaria viva, olha só a camiseta que meu negão está vestindo”, comenta com alegria apontando a camiseta vestida pelo seu companheiro com a frase “O bom pastor da a vida por suas ovelhas”.
Ajuda- A professora de pinturas Adriana Farias se sensibilizou com o pedido de Preta e resolveu procurar a reportagem do Diário de Jacareí. Ela, que há 1 ano e meio ajuda alguns mendigos da cidade disse que se emocionou com o sonho dela. “É um sonho tocante, e ela quer uma coisa simples, só uma dentadura para voltar a ter um sorriso bonito, tenho certeza que alguém vai ajudar e realizar esse sonho”.
Adriana diz que por estar todo esse tempo visitando Preta pelo menos uma vez por semana, já ganhou a confiança dela. “Eles são pessoas arredias, mas comigo ela se abre, conta tudo e há um mês que ela não fala em outra coisa que não seja sua dentadura”.
Adriana se dispõe a fazer o contato caso alguma pessoa queira ajudar.
Tenho certeza que alguém de bom coração vai me procurar e vamos realizar esse sonho dela, motiva-la, pois acredito que ela tem condições de sair das ruas e vencer na vida, pois é muito inteligente”.
Os telefones de contato para quem quer ajudar a Preta a melhorar seu sorriso são:
(12) 3951-2158 e (12) 8127-1251.
Quando a reportagem do Diário de Jacareí se preparava para deixar o local, Preta fez uma promessa: “Me ajudem, doem uma dentadura para que eu possa voltar a ter um sorriso bonito, e depois quero tirar uma foto linda com a Adriana e com quem me ajudar”.

20 de janeiro de 2008

Que se alegrem os psicólogos

Há algum tempo venho analisando o comportamento humano. O polêmico governo Collor abriu a exportação brasileira, e com isso conhecemos de fato e direito a modernidade. Celulares, carros i portados, ipods e acesso a internet, hoje em dia fazem parte da nossa geração. É claro que tudo isso é muito vantajoso, mas como tudo na vida, se não for bem aproveitado pode acarretar graves problemas. E analisando o comportamento da maioria das pessoas em relação a essas "novidades" cheguei a uma conclusão assustadora. Veja os exemplos abaixo, e no caso de se encaixar em alguns, ou até todos eles, se prepare: Seu futuro será no divâ de um dos futuros milionários psicólogos.
Pense nessa cena. Você precisa falar com um vizinho. Logo manda um emai, frio e objetivo, esperando resolver o assunto. Porque não vai a casa dele? Antes que você me responda:"É a correria do dia a dia", lhe retruco; Mesmo antes dos emails e celulares tínhamos uma vida corrida, mas não deixávamos de conviver com as pessoas. Sou do tipo que prefere um contato real, olhar no olho, sorrir, do que ficar a mercê do mundo virtual. E o caso dos nossos ipods, mp3,4,5,6,7... então? Tudo bem, é espetacular poder ouvir aquilo que queremos sem nenhum questionamento. Ma daí a se isolar do mundo com um fone de ouvido, é um sério problema. Fiquei sabendo que na Europa, fizeram uma balada onde cada pessoa ouvia suas músicas no ipod, dançando isoladamente. Se essa moda pega no Brasil é o armagedon. As crianças hoje brincam cada vez menos. A moda é jogar no pc. Esconde-esconde, bandeirinha, taco?Tudo coisa do passado. Já estou imaginando a cena de um casamento sendo realizado no computador, com os convidados assistindo a tudo pela web cam. Inclusive com os noivos cada um em sua casa respondendo ao padre pelo msn se aceitam um ao outro. É mais comodo né.
O fato é: Daqui há dez, no máximo quinze anos, por causa desse isolamento e mau uso das modernidades, a grande maioria da população terá graves problemas de depressão. As pessoas não saberão mais lidar em grupo. Os homens bem sucedidos procurarão os psicólogos para continuarem no topo, saberem lidar com as controvérsias. E as pessoas depressivas, mal sucedidas irão para o divã na busca de reaprender coisas simples, como conviver, ouvir não, levar um fora em balada e etc.
Vou deixar aqui dois conselhos que servem também como moral da história.
Conviva mais, leia mais, sorria mais, conheça mais pessoas, largue um pouco o pc, o ipod, e viva mais, aproveite mais as coisas antigas, que com certeza também são muito mais prazerosas. Repito: VIVA MAIS, seja o artista principal da sua vida, busque as emoções: grandes, pequenas, constantes, passageiras..enfim..
E o outro conselho é para você, inteligente, que gosta e valoriza o convívio com os seres humanos, e ainda não decidiu o que vai seguir profissionalmente. Não pense duas vezes. Faça psicologia. Será num futuro próximo a profissão mais valorizada e bem remunerada no país.
Isso se você não entrar em depressão antes, pela correria do dia a dia, busca insana a gananciosa por ser bem sucedido no mercado profissional, loucura por comprar um modelo novo de celular que sai de 5 em 5 minutos, e assim vai....